A Retidão na Relação entre o “Eu” e o “Tu”

A Retidão na Relação entre o “Eu” e o “Tu”

Um jovem, deixa sua mão cair sobre o ventre de uma garota. Ambos estão deitados. O jovem em frenética sede de desejo pousa seu olhar sobre os olhos da garota e diz:

_ “Eis que estou no seu ventre deserto! No seu umbigo, esta cisterna rasa e sem água.

Estou morrendo de sede de desejos. Minha boca está seca: tenho sede! Porém, se subo deste deserto encontrarei suas montanhas, que são difíceis de ser escaladas e, visceralmente sem água. Tenho sede!

0